Madonna abre o jogo sobre sua vida como mãe – e como ela está salvando vidas na África com sua instituição de caridade Raising Malawi.

Madonna pode ser a artista feminina que mais vendeu álbuns na história, mas em casa ela é apenas mãe – ou “Mambo”, como seus  quatro filhos mais novos  a chamam.

Para a PEOPLE desta semana, o ícone pop, ofereceu um vislumbre raro no seu mundo particular, convidando a revista  PEOPLE a se juntar a ela no Malawi no dia 11 de julho, na inauguração do  Mercy James Center for Pediatric Surgery and Intensive Care, o primeiro hospital infantil da nação . Um mês depois, em sua casa em Londres, ela falou sobre adoção e por que ela se dedicou a ajudar os filhos do Malawi – e sua sobre sua  vida atribulada e gratificante como mãe de Lourdes, 20, Rocco, 17, David, 11, Mercy, 11 e das gêmeas, Estere e Stella,5.

Malawi – um país bonito, mas problemático no sudeste da África – tornou-se um “segundo lar” para Madonna nos últimos anos. Após a primeira visita em 2006, ela fundou o Raising Malawi, uma organização sem fins lucrativos que visa educar e apoiar serviços de saúde para inúmeros órfãos e crianças no país. É também onde conheceu quatro crianças que mudariam sua vida para sempre.

Já mãe de Lourdes (com  o ex- Carlos Leon) e Rocco (com o ex-marido Guy Ritchie), a cantora viu o filho David Banda no orfanato Home of Hope que fica em Lilongwe, capital de Malawi. Ele era um bebê lutando contra a pneumonia e malária na época, e sentindo uma conexão instantânea, ela começou o processo de adoção.

Mas quando o trouxe para sua casa em Londres em 2008, a recepção não foi nada do que ela esperava. “Todos  jornais noticiavam que eu o tinha sequestrado”, diz Madonna. “E eu ficava pensando:” Espere um minuto. Estou tentando salvar a vida de alguém. Por que estão  me massacrando? “Eu fiz tudo conforme a lei. Esse foi um ponto muito baixo para mim. Eu chorava até dormir “.

Madonna conheceu Mercy James ao mesmo  tempo que David, e adotá-la foi ainda mais difícil. Por ter se divorciado recentemente de Ritchie, oficiais do Malawi me disseram que eu “não seria capaz de criar uma criança”, diz ela. “O jeito que eu fui tratada – esse comportamento sexista – era ridículo”, acrescenta Madonna, que desafiou com sucesso a recusa na Suprema Corte do Malawi e trouxe Mercy  para casa em 2009.

“Eu tive momentos  bem difíceis “, diz ela, “mas eu sou uma sobrevivente“.

Em fevereiro, a estrela trouxe para casa Estere e Stella, gêmeas órfãs que conheceu no Home of Hope há 2 anos e meio. No verão passado, ela voltou a iniciar o processo de adoção, que ela diz que foi bem rigoroso: “Porque eu sou uma figura pública, as pessoas não querem parecer que estão me dando algum tipo de tratamento especial, então pego a estrada mais difícil “.

E adiciona: “É complicado, mas vale a pena”.

SOURCE